sexta-feira, fevereiro 23, 2007

Liberdade != mp3

Ao instalar o Ubuntu ou outro linux totalmente livre, o que mais pega de surpresa aos usuários desavisados é a falta de suporte à codecs de multimídia, principalmente o mp3.

Se você é um dos usuários desavisados deve estar pensando: O quê?! O Ubuntu não toca mp3? Calma, não é bem assim. É só instalar um pacote e deu, o seu Ubuntu está tocando mp3. Este processo é amplamente documentado na internet então ninguém tem problemas com isso.

Mas por que o Ubuntu não vem com suporte a mp3?
O Ubuntu não vem com suporte a mp3 porque este é um formato proprietário e por filosofia o Ubuntu não vem com nenhum software proprietário apesar de estes serem facilmente baixados depois da instalação. Além disso a lei de patentes dos EUA é muito mais rígida e mesmo que um código diferente do registrado faça a codificação e decodificação de mp3, por exemplo, isto continua a ser ilegal. No Brasil não existe este tipo de patente, apenas é possível registrar o código então se for escrito um outro código que decodifique o mp3 este é um produto diferente do primeiro que não infringe nenhuma lei de patentes ou registro. Por isso aqui no Brasil você pode baixar os pacotes de decodificação de mp3 do Ubuntu sem medo. =)

Mas não é só o Ubuntu que sofre com isso, parece que aquela empresa que adora patentes está sofrendo com isso também, veja este trecho de uma notícia do IDG Now!:

"A Microsoft deverá pagar uma multa de 1,5 bilhão de dólares por perdas e danos à Alcatel-Lucent por infringir patentes na tecnologia de codificação e decodificação de MP3..."

Parece que o pessoal de lá está mais preocupado em cobrar pelas patentes que as pertencem do que pagar pelas patentes de outros que usa.

Já existe um formato livre para concorrer com o mp3. É o ogg, com qualidade superior ao mp3 e tamanho dos arquivos menor. Infelizmente o ogg não é suportado pela maioria dos mp3 player portáteis, mas com a ajuda de todos este formato pode vir a ser mais popular para isso se você for comprar um mp3 player dê preferência aqueles que suportam o ogg.

PS para não nerds: O símbolo '!=' significa 'diferente' em algumas linguagens de programação entre elas o C++.

6 comentários:

Cleverson disse...

Hmmm... Sei que naum tenho tanta estatura moral (hehauehauhaue) pra dizer isso, mas...

Qual eh a diferença entre MP3 e OGG? Um formato proprietário e outro livre? E o mais importante disso tudo... E os direitos autorais das músicas?

Eh sempre a mesma coisa... Porque brigar por utilizar um formato LIVRE ou outro formato qualquer se a pirataria em si continua firme e forte?

Não sou contra MP3, OGG ou qualquer outro formato que possa surgir (muuuuito pelo contrário... hehe), mas os direitos autorais continuarão a ser desrespeitados quer seja um formato livre quer seja proprietário. E enquanto um CD ou uma música que não fira estas premissas estiver custando o que custa, VIVA O MP3, VIVA O OGG! hehe

No más, bom post.

Andre Almeida disse...

Antes de mais nada obrigado pelo comentário Cleverson. Comentários são extremamente importantes pois com eles pode-se ficar sabendo se a mensagem ficou clara, se o assunto é interessante e se não estou falando besteira.

Respondendo as tuas perguntas.

A diferença entre um mp3 e o ogg eu desconheço mas existe, deve ser detalhes técnicos que acabam por deixar o ogg menor e com mais qualidade entretanto na prática os dos são iguais.

Quanto ao direito autoral das músicas nenhum dos formatos possui DRM, ainda bem.

Então por que utilizar formatos livres se a pirataria continua firme e forte, você me pergunta. Porque o ogg é livre e o mp3 não! E por livre entenda-se não necessariamente grátis, nesse caso a liberdade está mais relacionada a liberdade de uso. Não quero que uma empresa tenha o poder de decidir aonde eu posso ou não ouvir as minhas músicas. Além disso com um formato livre o trabalho de um pode ser aprimorado por outro, tanto na codificação quanto na decodificação da músicas.

Abraços Cleverson.

ASF disse...

O caminho já foi pavimentado para que todos possam, se assim desejarem, adquirir e instalar codecs e formatos proprietários no Ubuntu (legalmente licenciados para os países onde isso for uma exigência).

http://antoniofonseca.wordpress.com/2007/02/10/parceria-tecnologica-entre-canonical-e-linspire/

O recurso já estará disponível para o Ubuntu Feist Fawn 7.04, com data de lançamento prevista para 19 de abril deste ano.

Será possível também instalar o suporte a essa tecnologia (CNR), sem qualquer problema, através de um plug-in nas versões anteriores da distribuição.

Abraço,

ASF
http://antoniofonseca.wordpress.com

lezis disse...

Na verdade é possivel usar mp3 legalmente em qualquer país desde o Dapper sem pagar nada. A empresa Fluendo pagou para distribuir livremente um plugin pra mp3 para o gstreamer. O nome do pacote é: gstreamer0.10-fluendo-mp3

Diego T. disse...

não entendo muito disso, mas quer dizer que o "lame" é ilegal nos USA?

que ate onde sei o lame e o xvid são open source, mas mesmo assim são ilegais em alguns paises?

Andre Almeida disse...

Isso, o lame é ilegal nos EUA e em outros países que tenham leis de patentes semelhantes.

Como disse o Zis somente o Fluendo é licenciado e é distribuído gratuitamente. (Não é software livre)

Lembrando que no Brasil não existe essas restrições.