terça-feira, novembro 28, 2006

Eu não dou suporte para windows

Windows Pirata Todo mundo que trabalha com informática um dia já instalou um windows pirata para alguém, ou já deu diversas "ajudas" removendo vírus, instalando um programa, configurando a rede, e etc.

A verdade é que é assim que o windows sobrevive. Os usuários domésticos quase que na maioria usam windows pirata e o windows não sobreviveria se não fôssemos nós a darmos suporte. Pior ainda é o caso de empresas que vendem computador e já entregam com um windows pirata instaladinho e ainda dão suporte a qualquer probleminha por qualquer R$50,00.

Além de ser crime, instalar e ajudar pessoas que usam windows pirata é prejudicial a expansão de sistemas operacionais livres.

Me dando conta disso, tomei uma decisão, eu não ajudo, não instalo, não arrumo windows, nem qualquer outro software proprietário.

Quem quiser ajuda que compre a licença do windows e peça suporte da microsoft. =)

Ou mude para um sistema operacional livre. Eu recomendo Fedora ou Ubuntu.
E mande um e-mail, me adicione no messenger, ligue, que eu ajudo de graça.

Além disso, precisando de ajuda com Firefox, Gaim, OpenOffice, Gimp no que eu puder e souber estarei totalmente disposto a ajudar.

Recomendo escutar a entrevista do Sérgio Amadeu para o IDG Now! falando sobre isso.
Para ouvir basta baixar este mp3.

6 comentários:

Ivan disse...

Seria uma boa idéia se eu não fosse trabalhar com esse tipo de coisa também. Infelizmente terei que dar algum suporte ao Windows no trabalho mas vou adotar essa idéia fora do trabalho!

Rafael Gomes disse...

Estou totalmente de acordo man !!!
porém existe amigos que transcedem esse meu ideal, mas mesmo assim irei tentar transformar isso numa realidade para mim.

Cleverson disse...

Ficou meio grande mas tá aí:

Tah, eu posso ser o único errado nessa história, mas assim mesmo quero deixar a minha opinião aqui...

1º) Concordo com o que você disse, em QUASE tudo... Veja bem... Acho interessantíssimo que se incentive as pessoas a usarem software livre, mas ignorá-las é que não adianta. Talvez o teu próximo passo seja dar suporte apenas para gremistas, depois apenas para católicos e por aí vai... São opções que cada um pode, e deve fazer, do mesmo jeito que você fez a sua.

Esta atitude, porém, apesar de válida, acaba se tornando um pouco preconceituosa... Em um mundo que fala em inclusão digital você quer ignorar àqueles que não usam o que você gosta, ou que você usa. Nada contra, mas não deixa de ser uma forma de preconceito.

Ao invés disso, antes de passar a ignorar ou negar ajuda a alguém que tenha um rwindows, pirata ou não, porque você não tenta mostrar o que o linux tem de bom? Isso é mais difícil do que ignorar o infeliz do usuário? Sim, é! Mas nem sempre o caminho mais fácil é o mais correto.

Outra coisa, "Além de ser crime, instalar e ajudar pessoas que usam windows pirata é prejudicial a expansão de sistemas operacionais livres.". Perfeito! Quer dizer que você apagou TODOS os MP3 que você tem no PC? Ou comprou todos os CDs que tinham as músicas que você ouve? Ou então aqueles esquemas de comprar músicas individuais? Legal! Porque isso também é pirataria e prejudica as gravadoras (os artistas não porque estes vivem dos shows, todo mundo sabe), que tem um pouco menos de dinheiro do que a microsoft.

Acho extremamente válido que você incentive a utilização de software livre, só não acho mais correto o meio que você está querendo utilizar para este incentivo.

Foi mal pelo tamanho do comentário, mas acho que consegui deixar a MINHA opinião sobre isto.

Flw vlw!

Ivan disse...

Comentando o comentário do Cleverson o_O

Não concordo em ser preconceito. Isso é simplesmente deixar as coisas nos lugares certos. Comunidade Open Source faz as coisas, na maioria das vezes, pela camisa, sem fins lucrativos. Empresas como Microsoft fazem as coisas pelo dinheiro. Junto com a licença do windows, as pessoas tem o direito ao suporte deste software. Porque então eu devo dar este suporte para o usuário?
A idéia é bem simples. A Microsoft dá o suporte ao software dela e nós do software livre damos suporte ao nosso.

Andre Almeida disse...

Cleverson, respeito a tua opinião apesar de não concordar com ela.

Explicando a minha posição gostaria de esclarecer que assim como uma pessoa escolheu utilizar windows eu decidi não ajuda-la. Em nenhum momento estou me propondo a prejudica-la, ou a criar vírus para dificultar a vida de quem usa windows, apenas estou deixando de fazer parte de um processo que visa favorecer os exploradores.

Não é um preconceito por a pessoa não gostar da mesma coisa que eu, e sim a não ser parte de um processo que eu acredito não ser para o bem.

É um boicote ao processo, não as pessoas que usam softwares proprietários. Se elas querem usar windows, que sejam felizes. Da minha parte o meu blog vai continuar a funcionar da melhor forma possível no Internet Explorer assim como no Firefox, como os projetos que eu participo ou vier a participar. Vou sempre respeitar a escolha do usuário, mas isso não significa que vou incentiva-lo (ajudar é uma forma de incentivar) a participar de um processo cujo eu não acredito. Se requisitado vou ajudar propondo o uso de softwares livres.

Quando a questão de ser ilegal, realmente ainda tenho os meus MP3. Mas essa é uma outra questão tão complexa quanto a do windows. Mas vamos resumir, as gravadoras deixaram alternativa? O preço dos CDs é assustador. E eu nem tenho como comprar uma música online e tocar no meu linux. As lojas no Brasil só vendem músicas que SÒ funcionam em ambiente windows?

E o Ivan esclareceu outro ponto muito importante também.

Não sei se consegui me fazer entender por completo. Mas recomendo que reflita sobre a situação e o processo envolvido.

Abraços.

Cleverson disse...

Sim, eu refleti sobre a situação, antes de fazer o meu primeiro comentário.

Concordo com o teu post e com os comentários teus e do Ivan, mas ainda não acho a melhor forma de incentivar o povo a usar software livre. Solução? Não tenho!

Solução para os MP3? Compra o CD! É caro? Pirateia! É o que todo mundo (ou quase todo mundo) faz com o windows. Pirateia por não ter dinheiro pra comprar. E poucos são aqueles que recomendam o uso do software livre para essas pessoas. E mostram a elas que isto pode ser infinitamente melhor do que o que elas estão usando, além de não ser ilegal.

A divulgação do software livre ainda é muito restrita a usuários mais avançados, pessoas ligadas à área da informática dentro ou fora do meio acadêmico.

Comodismo e medo do novo são coisas que prejudicam e muito a coisa toda, pois desde sempre os usuários estão acostumados a isso. Pirateia. Sai versão nova. Pirateia. E fica tudo bem. E quando não funciona pagam pra alguém deixar funcionando.

As vezes, ainda, pode nem ser comodismo, pode ser até mesmo falta de informação, porque tem aqueles que não gostam do processo mas que desconhecem a existência de algo melhor e ficam do jeito que está.

Mas enfim... Ainda não concordo com o teu método, mas como eu sou o único que não concorda com isso, e não tenho nenhuma solução melhor que a tua, ficamos assim.

Flw!